quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Dia da Consciência Negra

Consciência negra: valorizar a identidade

Aprenda a valorizar a cultura negra em casa e na escola

 
O que é o Dia da Consciência Negra? Celebrado no dia 20 de novembro, o Dia da Consciência Negra homenageia e resgata as negras raízes do povo brasileiro. Escolhido por coincidir com o dia da morte de Zumbi dos Palmares, ele é dedicado à reflexão sobre presença do negro na sociedade brasileira. "O Dia da Consciência Negra sinaliza a ideia do marco, marca o valor da conquista da liberdade deste grupo", explica Roseli Fischmann, da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidade Metodista, de São Bernardo do Campo, na região metropolitana da capital paulista.

O dia da Consciência Negra também põe em pauta a importância de discutir a temática negra na escola. A inclusão de assuntos ligados à África e ao povo negro na educação formal é uma das estratégias para reconhecer a presença desse grupo na história do Brasil - os negros correspondem a 6,8% da população brasileira segundo o IBGE, mas os chamados "pardos" chegam a um número próximo da metade da população brasileira. Não à toa, escolas e instituições diversas já reconhecem a importância de trabalhar a cultura negra em seu dia a dia.

Hoje, a lei brasileira obriga as escolas a ensinarem temas relativos à história dos povos africanos em seu currículo. Além disso, os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) estabelecem que a diversidade cultural do país deve ser trabalhada no âmbito escolar. "A sociedade em que vivemos valoriza outro estereótipo, o que resulta na invisibilização do negro. Isso tem um efeito bastante perverso: as crianças negras nunca se vêm e o que elas olham é sempre diferente delas", explica Roseli, que coordenou o grupo responsável pelo documento sobre Pluralidade Cultural nos PCNs. "A pluralidade cultural é um tema que pode ser abordado de forma transversal, em várias disciplinas", conclui. Estratégias simples, como a introdução de bonecas negras, podem ter um efeito positivo para reforçar a identificação cultural dos alunos negros. "Revelar a África pela própria visão africana também surte efeito. O continente produz cultura, histórias e mitologia, o que a perspectiva eurocêntrica não nos deixa ver", diz Oswaldo de Oliveira Santos Junior, pesquisador do Núcleo de Educação em Direitos Humanos da Universidade Metodista de São Paulo. 


Autoria: Bruna Nicolielo, Marina Azaredo e Mayra Raizi


  
Sugestões de atividades 
Eduacação Infantil 
-Pesquisa em jornais e revistas das palavras: Trabalho, escravo, Brasil, Portugal e África.
-Identificação de palavras pesquisadas através de caça-palavras
-Leitura do texto “Zumbi pensava diferente”
-Observação do mapa mundi para localização do Brasil, África, Portugal.
-Decomposição da palavra PALMARES para formação de novas palavras.
-Roda de conserva enfocando a diferença entre o dia 13 de maio e o dia 20 de novembro
-Tentativa de escrita de palavras
-Registro de numerais comparando quantidades
-Exploração do calendário mensal
-Exploração do calendário anual com observação de datas que marcam a história de negro
-Construção de um glossário com palavra de origem africana
-Rodas de conversa enfocando a irmandade dos homens, que todos somos iguais.
-Exposição de ervas presentes principalmente na cultura afro
-Contagem de número de letras das palavras
-Localização identificando distâncias: Perto longe a partir da fala do narrador ao afirmar que os negros cativos vinham de muito longe.
-Pesquisa de gravuras ou fotos que demonstrem atos fraternos entre brancos e negros.
-Audição da música “O conto das três Raças” (Clara Nunes) entre outras.
-Exploração de sons afros: tambor, atabaque, berimbau.
-Ilustração da História Tempo de Escravidão (através de pintura com guache)
-Confecção de fantoches com perfil afro;
-Construção de retrato étnico da turma: produção de mural com fotos e frases que traduzem as características étnicas e culturais das crianças;
-Formação de painel coletivo com personalidades negras que alcançaram a fama;
-Construção de maquete de um quilombo;
-Confecção de chocalhos, atabaque e berimbau.


Literatura: Sugerimos as histórias: O ratinho branco e o grilo sem Asas; Menina bonita do laço de fita e a lenda Negrinho do Pastoreio.

 
 
"A prática do racismo constitui crime inafiançável e imprescritível, sujeito à pena de reclusão, nos termos da lei".

Façam uma relação Brasil X África

Construção de bonecos

Valorizar a cultura africana (máscaras)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...