quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Onde estudar?

Hoje, abordaremos um tema difícil e polêmico. Qual a escola mais adequada para seu filho? 
 
Todo mundo sabe o quanto é importante a frequência na escolinha ou creche, e que os efeitos positivos são inumeros para seu desenvolvimento, pois quando bem estimulada a criança avança na sua capacidade motora, na forma de se relacionar e trabalhar seus sentimentos e emoções, mas quais os critérios que devemos priorizar na hora de escolher onde nosso filho vai estudar?

1- Como entender a proposta pedagógica da escola?
Tarefa dificil, pois exige um certo conhecimento dos conceitos pedagógicos, que de forma geral são de três tipos: a tradicional, que prioriza a disciplina e cumprimento de regras; a lúdica, que tem como foco brincadeiras com pouca preocupação pedagógica e a socioconstrutiva que é forte em planejamento de situações de apredizagem e que há conteudo para cada faixa etária. Quando for conhecer a escola, peça pra conhecer qual é a proposta pedagógica, conhecer a filosofia de ensino da escola e o que isso significa. Anote algumas perguntas que pode fazer:

Qual a proposta educativa? E como a equipe se organiza para cumpri-las?
Como a pré-escola trata a questão de alfabetização? Vai alfabetizar? Quais métodos?

Um ponto importante também é conhecer outros pais de alunos que frenquentam a escola e converse sobre o que eles acham sobre o método de ensino.

Mas em qualquer um dos projetos escolhidos observe se o trabalho é realizado com valores, cooperação e respeito às diferenças, e quanto mais próximos aos da sua familia melhor.

2- Como devem ser os professores da escolinha?
Nos dias de hoje não basta saber cuidar e gostar de criança, o professor do pré-escolar de hoje precisa ter formação e preparação adequada, dominar teoria do desenvolvimento humano. que ajuda a compreender a lógica infantil, as necessidades e especificidades de cada criança.
Ao conhecer a escola peça pra conhecer o professor, veja como ele se expressa e como ele se relaciona com a turma.
Uma dica da pedagoga Adriana Oliveira é observar se a professora olha para todas as crianças e se tem uma relação verbal com elas todas em vez de centralizar sua atenção em apenas algumas.

3- Como deve ser o espaço físico da escola?
Segurança é um item importante. Preste atenção se a escola tem escadas com grade de proteção e corrimão ou, melhor ainda, se opta por rampas, se as janelas de andares superiores têm telas, se as tomadas são cobertas e os produtos de limpeza mantidos fora de alcance dos pequenos. As cores dos espaços devem formar uma coerência visual: portas de uma cor, paredes de outra. As salas precisam ser arejadas e contar com passagens para um solário ou jardim, além de banheiros e trocadores por perto. Por fim, o ideal é que os ambientes disponibilizem materiais, como fantasias, brinquedos e livros ao alcance das crianças para que elas possam fazer escolhas.

4- A pré-escola tem proposta atual?
A Educação Infantil mudou muito nos últimos anos. Antes, o foco de uma creche ou pré-escola estava no cuidar, agora está no educar - tendo como meio para isso o brincar. Esteja atento a essas mudanças ao visitar pré-escolas. Mais perguntas que você pode fazer:

Que propostas de ensino a coordenação apresenta em seu discurso?
Como ela se posiciona em relação à avaliação dos alunos (nota, conceito, avaliação dos professores)?
E em relação à mobilidade entre as fases (maternal, jardim I, II etc)?
Algumas escolas não aceitam que a criança retorne para uma fase anterior por não estar acompanhando o ritmo da turma e outras sim.
Outro ponto a se observar é se a escola trabalha com psicomotricidade (atividades específicas de movimento que ajudam a criança a tomar consciência de seu corpo) e se oferece um ambiente alfabetizador, com muitas situações de leitura e escrita.

5- O que contempla um curriculo da pré-escola?
Nem todas as escolas trabalham da mesma forma, por isso os pais precisam sempre conhecer o projeto político pedagógico (também chamado de proposta pedagógica) de cada escola e ver qual combina mais com a educação que eles esperam para o seu filho. É importante saber que o MEC traçou diretrizes educacionais com a finalidade de orientar o trabalho das escolas. Segundo essas diretrizes, a Educação Infantil deve trabalhar com linguagem oral e escrita, matemática, natureza e sociedade, movimento, artes e música, além da questão da formação pessoal e social (desenvolvimento da identidade e da autonomia). A forma como as escolas contemplam esse conteúdo em seus currículos varia muito. Algumas trabalham com projetos pedagógicos que articulam as áreas do conhecimento e surgem a partir de uma necessidade da turma. Outras escolas trabalham com programações mensais e usam material de apoio fornecido pelo MEC. Informe-se na diretoria da escola.

6- Quantas crianças há na sala de aula?
Na Educação Infantil, ensino de qualidade é sempre associado a salas com turmas pequenas e bem atendidas pela professora. O Conselho Nacional da Educação estabelece um limite de crianças por educador, de acordo com a idade:
--> 0 a 2 anos: máximo de 8 crianças por educador
--> 3 anos: máximo de 15 crianças por educador
--> 4 e 5 anos: máximo de 20 crianças por educador

Mas atenção: o Conselho determina também que crianças de zero a três anos precisam de um espaço de 1,5 metro em sala de aula e crianças de 4 e 5 anos, de um espaço de 1,2 metro. Algumas escolas optam por colocar uma ajudante de sala para auxiliar o professor nos cuidados com as crianças, mas não é obrigatório.


7- Como deve ser a troca de informações entre a escola e os pais?
A família precisa ter inúmeros canais de comunicação com a escola e o professor. Além das reuniões mensais ou bimestrais, os pais podem receber uma agenda diária (algumas escolas chamam de diário) com informações práticas, por exemplo, se a criança tomou o lanche, se ela apresentou melhoras do resfriado, se dormiu, se ela se machucou e como foi isso, entre outras informações sobre acontecimentos daquele dia.

8- A localização da escola é importante?
Os especialistas se dividem nessa questão: alguns avaliam que, quanto mais perto de casa ou do trabalho, melhor. Isso facilita a ida ao local em caso de emergência, além de evitar que seu filho faça longas viagens pela cidade e tenha de enfrentar o trânsito ainda pequeno. Outros acham que vale a pena colocar a criança em uma escola um pouco mais distante se ela oferecer um ensino de melhor qualidade. De qualquer forma, fazer crianças muito pequenas viajarem mais de uma hora todos os dias, ou acordar de madrugada, não é a melhor saída. Elas ficam cansadas e até estressadas. Os pais tem que analisar bem e ver o que é melhor para o pequeno.

9- Quanto mais cara a escola, mehor será a qualidade?
Nem sempre a escola mais cara traz vantagens significativas. Às vezes, a que cobra mensalidades mais em conta e segue uma proposta pedagógica interessante é melhor do que a cara e com prédio sofisticado. Vale observar se o preço pago corresponde, por exemplo, a espaços bem equipados (não necessariamente com luxo) e professores bem formados. A equipe precisa fazer cursos continuamente e, de preferência, financiados pela própria instituição. Essa é uma das principais diferenças de uma escola de qualidade.

10- Depois de um tempo é ruim mudar a criança pequena de escola?
Até os 5 anos, elas criam vínculos fortes com as pessoas próximas porque ainda são muito dependentes. Mudar de escola não é uma missão impossível. Isso deve ser feito caso a criança não goste do lugar ou os pais se sintam mal atendidos. Mas a transição é trabalhosa. O seu filho terá de se adaptar novamente a um novo ambiente. As primeiras semanas costumam ser mais delicadas e a presença de um dos pais ou um adulto de referência ajuda a superar o estranhamento.

11- A escola é autorizada?
Muitas escolas de Educação Infantil abrem todos os anos no país. Mas será que todas têm a autorização das secretarias municipais de ensino para funcionar? Essa informação precisa estar acessível nas escolas (geralmente na secretaria) mas, na dúvida, você pode consultar a diretoria da educação da região onde você mora. De acordo com Regina Célia Sylvestre, para ser autorizada a funcionar uma escola precisa estar em dia com sua estrutura, seu espaço, sua proposta pedagógica e seu corpo docente. Lembrando que a Educação Infantil no Brasil (escolas públicas ou privadas) é de competência dos municípios.
 
 
EQUIPE MUNDO DO SABER

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...